Arquivo para filosofia milenar

Entrevista transformadora de uma Cultura Milenar!

Posted in Autoconhecimento, Cultura, Método DeRose with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 26/08/2009 by Renata Junqueira

A Arte de Bem Viver do Método DeRose!

Mestre DeRose sorrindo

É possível uma convivência mais harmoniosa e sensível  nossa com nós mesmos e com a sociedade? Fazer parte de uma Cultura que nos proporciona uma vida mais lúcida, consciente e saudável? Conviver com pessoas dinâmicas, cultas e bem dispostas, que valorizam e trabalham com arte, educação e cultura ? E acima de tudo pessoas que se preocupam em serem melhores e mais éticas a cada dia?

DeRose em uma entrevista na Europa mostra de forma clara e contagiante que  através de uma cultura milenar resgatada pelo Método DeRose é sim possível!

Afinal, milhares de pessoas no Brasil, na América Latina, Europa e diversos países do mundo já adotaram este life style.

Leia uma pequena transcrição da entrevista reproduzida abaixo. Para vê-la em vídeo clique no link.

Vídeo da entrevista do professor DeRose

Jornalista António Mateus- “Mestre sua cultura promove um indivíduo mais lúcido, mais consciente, mais interativo  na sociedade, é isso?”

DeRose- A proposta é esta. A proposta é que através de um conjunto de técnicas e um conjunto de conceitos nós possamos levar uma pessoa comum a um estado de consciência expandida. Agora se isto vai ser obtido, ou não, vai depender de uma quantidade de fatores entre eles a própria genética do individuo, e da parte controlável, a dedicação, o investimento de tempo na prática desta filosofia e também o ambiente onde a pessoa vive porque vai depender muito da bagagem cultural que ela trás, da profissão que ela exerce, da idade a qual ela começou, então é uma constelação de fatores.

Jornalista António Mateus– “Como é que a sua cultura faz isso sobre o indivíduo? Que instrumentos, que ferramentais dispõe para fazer isto?”

DeRose- “Nossa Cultura com N maiúsculo e C maiúsculo porque é um conjunto de conceitos, filosofia, é um sistema de vida. Essa nossa filosofia, essa nossa cultura propõe isso através de uma reeducação comportamental progressiva e espontânea. Não somos a favor de doutrinação, portanto doutrinação está excluído, não somos também a favor de repressão. Sem doutrinação e sem repressão o melhor caminho é o exemplo, é a convivência, é o que chamamos de egrégora. É conviver com um poder gregário de um grupo que já está dedicado a estes ideais e a partir dai os conceitos são incorporados com muito mais facilidade e as técnicas, isto ai já é uma questão de dedicação individual, de praticar, de executar tais técnicas.”

Para saber mais sobre António Mateus:  http://selvaurbana.blogs.sapo.pt/

Para saber mais sobre DeRose: http://www.uni-yoga.org/blogdoderose

Anúncios

A relação Mestre/discípulo na tradição oriental e a incorporação desta tradição pelo SwáSthya Yôga

Posted in Cultura, Método DeRose with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/07/2009 by Renata Junqueira

Mestre e a Instrutora Renat Junqueira

A relação entre Mestre e discípulo surgiu no Oriente, e vem sendo respeitada nessa parte do globo há mais de 5.000 anos.  Esta relação de carinho, respeito e lealdade muitas vezes é mal interpretada no Ocidente, principalmente quando atrelada ao Yôga. Isso ocorre por pura falta de informação e preconceito, já que a reverência que há por um Mestre de artes marciais é bem aceita e vista até como um ato nobre e de disciplina. Porém, tratando-se de um Mestre de Yôga os ocidentais adotam uma conotação negativa de autoritarismo e idolatria.

As mais antigas escrituras hindus explanam sobre esta relação hierárquica, sem falsa modéstia, sem eufemismo ou conceitos demagógicos para cativar a opinião pública. De acordo com os Shástras tradicionais, o Mestre é para o discípulo, pai, mãe e Íshwara (deus). Segundo o Maitrí Upanishad: “Esta ciência absolutamente secreta (o Yôga) só deve ser ensinada a um filho ou a um discípulo totalmente devoto ao seu Mestre”.

No Oriente, os gurus (instrutor, professor ou Mestre), de qualquer disciplina, seja de música, dança, história, artes marciais, são muito valorizados. Eles são constantemente reverenciados e homenageados por serem aqueles que transmitem o verdadeiro conhecimento e são considerados os educadores da humanidade. O sistema de castas da Índia coloca no topo da pirâmide os brahmanes, que são justamente aqueles que lidam com a cultura, com o conhecimento, abaixo deles é que vêm os reis, os nobres, guerreiros, etc.

O Yôga é uma filosofia de vida que nasceu sendo perpetuada através do parampará (transmissão oral), de Mestre para discípulo, e era em sua origem gupta vidya (conhecimento secreto). Por isso que da pessoa que se candidata a discípulo é exigido total respeito, obediência, lealdade, fé e amor a seu Mestre. Mircéa Eliade em seu livro, Patañjali e o Yôga, diz: “aquilo que caracteriza o Yôga não é apenas o seu lado prático, mas também sua estrutura iniciática. Não se aprende Yôga sozinho, é necessária a orientação de um Mestre”.

O SwáSthya Yôga por ser um Yôga ancestral, autêntico e sério incorporou essa estrutura iniciática que Mircéa Eliade cita. É importante sabermos que o discípulo tem a liberdade de escolher seu Mestre, e a partir do momento que ele se propõe a ser um discípulo, deve aceitar, acatar e reconhecer o Mestre definitivamente e sem reservas. Nesta relação se faz necessária a reciprocidade de ambas as partes, o Mestre tem que aceitar sê-lo e o discípulo também.

Yôga?

Posted in Cultura, Método DeRose, Opinião e informação with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 24/06/2009 by Renata Junqueira

Nós, instrutores do Método DeRose, buscamos sempre a excelência em tudo o que fazemos. Acreditamos que um trabalho sério e bom só se dá com muito trabalho e dedicação. Ensinamos uma filosofia milenar e temos como missão transmiti-la ao maior número de pessoas possível. Seja através do contato direto ou pela publicação de textos, artigos e livros sérios a respeito do assunto. Perpetuando assim, o conhecimento desta nobre filosofia para as gerações futuras.

Os textos abaixo foram produzidos por um grupo de 25 instrutores durante um curso de especialização em gramática e redação. O professor J.B. Oliveira, com toda sua experiência, tornou um curso de 9 horas, muito prazeroso e dinâmico.

Mesmo elaborados em 20 minutos, os textos ficaram realmente informativos e esclarecedores. Tirando eventuais dúvidas e confusões que os leigos têm em relação ao Yôga e ao Método DeRose.

Instrutores do Método DeRose no curso com o professor JBO Oliveira

 

Como o Yôga funciona?

(Elaborado por: Vivi, Gabis, Nina, Patrícia, De Nardi, Tati, Renata, Che e Marina)

Quando se fala de Yôga, o conceito que vem à mente das pessoas em geral é equivocado. A culpa não é nossa.

Durante milhares de anos essa filosofia foi modificada. Em um momento, pelas invasões sofridas em seu país de origem, a Índia. Em outro por modismos, influências culturais e mudanças históricas.

Pense o seguinte: há mais de cinco mil anos, quando o Yôga surgiu, não existia a preocupação de como ele funcionava. Por que se preocupar com isto hoje? O Yôga é uma filosofia de vida prática.

Este tipo de questionamento só nos faz desviar do propósito original. O Yôga é Yôga! Se funciona ou não, somente a experiência de cada um poderá dizer.

Por que o Yôga?

(Elaborado por: Marina, Elvis, Luis Gustavo, Fernanda, Djalma, Vinicius e Patríc)

 

 

Existe uma tendência natural do ser humano pela busca do aprimoramento e evolução. A civilização evolui em diversos aspectos: social, cultural, econômico, profissional e científico. No entanto, pouca importância é dada para o desenvolvimento pessoal.

O Método DeRose contempla o bom relacionamento entre as pessoas, delas com outros seres e a natureza. Através de uma cultura milenar que utiliza técnicas e conceitos promovendo o aperfeiçoamento multilateral daquelas que adotam tal estilo de vida.

O que é o Yôga?

(Elaborado por: Rosana, Ana Paula, Will, Dantas, Gi Setti, Dani Borges, Nilzo e Gi Correa)

O Yôga é um termo sânscrito que significa união.

A definição mais aceita mundialmente diz que: “Yôga é qualquer metodologia estritamente prática que conduza ao samádhi (autoconhecimento)”.

Esta frase foi lapidada pelo Mestre DeRose no século passado.

O Yôga é uma filosofia prática, da Índia antiga, que compreende técnicas orgânicas, respiratórias, concentração e meditação, entre outras. Essas técnicas conduzem a um estilo de vida mais saudável.

Atualmente, o Yôga tem sido procurado por pessoas jovens, dinâmicas, desportista, artistas, que buscam o que há de melhor para si.

Curiosamente, devido ao mau uso do termo, nós, representantes do Método DeRose, evitamos a utilização da palavra Yôga.