Arquivo para Professor DeRose

Um dia volta pra você!

Posted in Autoconhecimento, Responsabilidade Ambiental with tags , , , , , , , , , , , , , , on 24/09/2009 by Renata Junqueira

Uma questão ambiental

Existe uma lei natural que atua sobre nós de forma inexorável,  tal como a lei da gravidade. Esta lei é chamada na cultura hindu de karma, significa “ação” e designa uma lei universal de causa e efeito. Segundo o professor DeRose “podemos definir karma como um destino maleável, que modificamos a cada minuto em virtude de nossas ações, palavras e pensamentos. Estamos o tempo todo a tecer nosso futuro imediato e distante”. Dessa forma percebemos que karma não é algo necessariamente ruim, como muitos ocidentais pensam, mas apenas uma lei que gera uma reação a cada ação que produzimos no universo.

É importante ampliarmos nossa percepção da realidade pois muitas vezes nos fechamos no nosso mundinho e achamos que tudo o que fazemos, falamos e pensamos é um problema apenas nosso. Mas não percebemos que vivemos em um mundo onde tudo e todos estão de alguma forma interligados, como uma rede. Seja esta rede mais sutil como a “rede”, ou as ondas dos pensamentos, das emoções, intuições ou mais densa como a própria Terra, nosso corpo etc.

Hoje em dia alinhado com o conceito ambientalista e ecológico podemos perceber esta conexão oculta entre cada um de nós no nosso dia-a-dia, nos jornais, na televisão. É só ver ou ler qualquer notícia sobre o chamado efeito estufa ou aquecimento global. Este fenômeno nada mais é do que o resultado da falta de consciência global e a excessiva ambição do homem.  Afinal nós sempre achamos que poderíamos utilizar a natureza da forma que bem entendêssemos sem uma conseqüência para isso, sem um karma futuro.

Conhecendo os princípios do karma cabe a cada um modificar e modelar o próprio futuro. “Qualquer mudança de hábitos, de alimentação, de amizades, de profissão, tem como conseqüência uma alteração enorme no karma.” E o mais importante, sabendo que de alguma forma nossas ações se refletem no universo cabe a nós, que temos consciência disto, tomarmos partido para uma mudança significativa começando pelos nossos hábitos, nos reeducando para que sejamos exemplos para os demais que ainda não compreendem isto.

A Arte de Bem Viver – é ser uma pessoa mais responsável e consciente de seus atos, atuando como catalisador para a melhoria do mundo em que vivemos!

Veja o vídeo abaixo feito pela WWF Brasil que mostra em animação sobre o conceito de karma.

Bibliografia utilizada:

Karma e dharma – transforme sua vida, DeRose, Editora Nobel, São Paulo, 2007

 

Anúncios

Receita do verdadeiro chai indiano!

Posted in Gastronomia with tags , , , , , , , , , , , , , on 15/09/2009 by Renata Junqueira

Nas escolas do Método DeRose sempre foi tradição servir aos alunos o chai.  Virou até um ritual dos alunos chegarem na escola servirem-se com um copo quentinho de chai. E enquanto degustam esta iguaria os alunos sentam para uma conversara descontraída entre eles e com os instrutores. Para finalizar a rotina na escola, depois da aula tem mais uma rodada de chai, alguns até enchem o copo e saem tomando.  Este tradicional chá indiano contém em sua fórmula ingredientes que realmente fascinam o paladar e deixam sempre um “gostinho de quero mais”.

No vídeo abaixo o professor DeRose, que já viajou para a Índia por mais de 20 anos, ensina como preparar esta receita e conta um pouco da história deste chá. No Brasil o chai  ficou muito conhecido após a novela “Caminho das Índias”.

Vídeo da entrevista com professor DeRose

Clique na imagem para acessar o vídeo da entrevista.

Professor DeRose

Receita do chai

Ingredientes:
-500 ml de água
-500 ml de leite
-5 sementes de cardamomo;
-2 unidades de canela em pau;
-6 colheres (de sopa) de açúcar;
-3 colheres (de sopa) de chá preto (Ear Grey);
-meio copo de gengibre ralado.

Preparo:
Ferva a água e adicione o gengibre, o cardamomo e a canela. Acrescente o leite, o açúcar e ferva novamente. Desligue o fogo e coloque o chá preto para infusão por cerca de 3 minutos. Por último, coe.

Agora deguste o chai em um local agradável que você possa sentar-se e aproveitar, melhor ainda se você tiver uma boa companhia!

Onde queremos chegar?

Posted in Autoconhecimento, Método DeRose with tags , , , , , , , , , , , , , , on 08/09/2009 by Renata Junqueira

A Arte de Bem Viver

 

Professor DeRose e o jornalista António Mateus

Professor DeRose e o jornalista António Mateus

Jornalista António Mateus – Nós sonhamos que os nossos filhos cresçam num mundo numa determinada direção. E nós configuramos qual é essa direção. O senhor não “hipotecou”, não investiu 50 anos de investigação, de procura de saberes, sem sentir dentro de si onde é que queria chegar? Onde é que quer chegar?

Professor DeRose – “Eu gostaria de chegar a um ponto em que as pessoas, minimamente, escutassem o que nós temos a dizer. Que nos permitissem falar. Que não nos amordaçassem. Porque o grande problema que eu tenho sentido, é que nós temos coisas muito boas para dizer, não propondo um debate, mas propondo uma reflexão. O que ocorre é que os que não gostam do sistema, ou pensam que não gostam, não escutaram. Eles não conversaram comigo, não conversaram conosco, não conheceram a nossa gente, não leram nossos livros. Então, essa mordaça, eu gostaria, o meu sonho seria poder arrancar essa mordaça.

Eu me sinto sob aquela punição antiga, punição eclesiástica, do silêncio obsequioso. “Disse o que não devia, não falará mais.” E realmente eu sinto muito isso. Não querem que eu fale. Mas você observa que o que eu falo não é polêmico. Não considero polêmico, porque nós não estamos polemizando, nós não estamos discordando dos outros. Não é agressivo, acho que não é, não tenho intenção de que seja. Não quero agredir ninguém. E a proposta é boa, a proposta é uma juventude saudável. Nós trabalhamos essencialmente com adultos jovens. Portanto, produzir uma juventude saudável, juventude longe das drogas, do álcool e do fumo, se mais nada prestasse, pelo menos isso seria uma contribuição a ser reconhecida, que o nosso trabalho já esta há meio século proporcionando à sociedade.”

Veja a matéria completa:

Vídeo da entrevista com o educador DeRose