Archive for the Responsabilidade Ambiental Category

A riqueza da alimentação Vegetariana

Posted in Alimentação, Vegetarianismo with tags , , , , , , on 10/01/2011 by Renata Junqueira

Por Alex Atala, o mais conceituado chef brasileiro, proprietário do Restaurante D.O.M. em São Paulo

 

Tenho especial fascínio por esta parte da cozinha. O poder do movimento hippie, nos anos 70, influenciado por culturas ancestrais como a indiana, impregnou a cozinha vegetariana. Por causa da influência dos hippies, ela é vista até hoje, no mundo ocidental, como uma coisa de gueto, de bicho grilo. Mais um equívoco do mundo gastronômico.
Um dos momentos apoteóticos da cozinha, o macarrão com molho de tomate, é um prato 100 por cento vegetariano. Há muitas possibilidades de se fazer uma refeição rica, gostosa e criativa sem o uso de proteína animal. Berinjelas, cogumelos, alcachofras, aspargos, entre muitos outros, tem sabores fortes. As alcachofras e os aspargos são vistos com reserva pelos amantes do vinho: de tão fortes de sabor, podem cobrir notas da bebida.
Arrisco até a dizer que eu poderia abrir um restaurante no qual a falta de carne não faria a menor diferença. Pensando em algas, tomates, tubérculos, verduras, em fim, uma série de ingredientes de cozinha que não incluem carne, é possível montar uma refeição incrível.
É importante frisar que todas as cozinhas incluem pratos vegetarianos e que a carne não faz falta nenhuma em uma refeição. Se pararmos para pensar, poderíamos reduzir bastante a quantidade de carnes que ingerimos. Ela não tem essa importância crucial na nossa alimentação. Não mesmo! É possível viver muito bem com uma cozinha vegetariana, e é possível chegar a notas contundentes só pensando em castanhas, queijos e todos os outros ingredientes desse universo.
A cozinha vegetariana deve ser reinterpretada. Há um espaço para isso na gastronomia atual.

Extraído do livro Escoffianas brasileiras, pag. 86.

É natural do homem alimentar-se de carnes?

Posted in Alimentação, Gastronomia, Uncategorized, Vegetarianismo with tags , , , , , , , , , , , , , on 04/06/2010 by Renata Junqueira

 

 

 

O homem por natureza não foi feito para comer carne: depois de muitos estudos e investigações, os cientistas concluíram que nossos primeiros antepassados eram por instinto vegetarianos, especificamente frugívoros, e que recorriam a carne apenas em períodos de extrema crise. Foi durante a última era glacial que a dieta normal de frutas e legumes tornou-se praticamente impossível de satisfazer e, para substituir, tiveram que começar a comer o que encontravam. Alguns antropólogos todavia acreditam que o homem foi carnívoro na antiguidade, e que a alimentação baseada em vegetais é apenas um produto advindo da civilização. Estes antropólogos defendem que o ser primitivo vivia da caça e da pesca, por isso teria de ser carnívoro.

Se o homem fosse carnívoro por natureza, continuaria sendo e alimentar-se-ia de carne crua, sem nenhuma necessidade de condimentar-la ou de colocá-la com outros alimentos que na realidade reduzem ou mudam o sabor e até mesmo transformam a aparência da carne crua. É importante recordar que o homem primitivo não dominava o fogo nem dispunha de instrumentos para caça. E que somente depois de ter adaptado lanças, machados e etc é que pode começar a caçar animais mais fortes e rápidos do que ele. A lógica nos está provando que o homem em suas origens não foi caçador, nem carnívoro, mas sim, vegetariano e frugívoro e por falta de fogo crudívoro por excelência. Infelizmente, o costume de comer carne continuou, seja por necessidade como no caso dos esquimós e outras tribos do extremo norte, ou por hábito, condicionamento ou também por falta de conhecimento adequado. Em contrapartida, conforme nos mostrou a história, sempre existiram indivíduos e grupos de pessoas que compreenderam a importância de uma dieta vegetariana para beneficiar sua saúde ou por motivos éticos e religiosos. Pitágoras proibia seus discípulos de comer carne, garantindo que era um alimento insalubre, imoral e que ainda por cima prejudicava a inteligência. Platão, um dos sábios mais reconhecidos da antiga Grécia, era vegetariano. Seu lugar preferido era um jardim com árvores frutíferas, chamado akademos (de onde vem o termo academia), que ficava a alguns kilômetros de Atenas; ali, o discípulo de Sócrates se reunia com seus alunos para transmitir a eles seus ensinamentos filosóficos. Epicuro, precursor da filosofia monista, sobre a qual se apóia toda a ciência moderna, foi também vegetariano. Só se alimentava com frutas que ele mesmo cultivava. Benjamín Franklin, inventor do pára-raios, também foi vegetariano. Um dos personagens mais famosos que defendeu a dieta vegetariana foi Jean Jacques Rousseau, o suíço que foi um dos grandes escritores e pensadores da França em vésperas da Revolução Francesa. Tolstoi, um grande romancista russo, não somente pregou o vegetarianismo mas deu o exemplo, alimentando-se exclusivamente de frutas e verduras cruas. Há uma frase sua conhecida: “Enquanto nós formos sepulturas vivas de animais sacrificados, como podemos esperar melhores condições para a Terra?” Hoje o vegetarianismo já está muito reconhecido no mundo todo e apesar de existir certas opiniões ignorantes sobre o assunto, já não há nenhuma dúvida com relação aos benefícios que esta forma de se alimentar proporciona a quem a adota.

Voltemos a questão inicial: É natural que o ser humano se alimente de carne? Seu organismo está preparado para digeri-lá? Quanto a essas perguntas, observe o quadro abaixo que compara o biotípo do animal carnívoro, herbívoro, frugívoro e dos seres humanos.

Texto baseado no livro, La dieta del Yôga, Edgardo Caramella, Kier, 2005

 

Quadro sinótico copiado do livro La dieta del Yôga, Edgardo Caramella

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

**Curiosidade, você acha que a alimentação vegetariana não serve para esportitas, lutadores e pessoas que querem ganhar mais força? Então veja o vídeo abaixo 

Gladiadores vegetarianos

http://tvuol.uol.com.br/#view/id=as-expedicoes-de-josh-bernstein–laboratorio-forense-0402983866C4C18346/user=yaq680z51683/date=2010-05-10&&list/type=user/codProfile=yaq680z51683/

Retomando o fôlego!

Posted in filosofia, Responsabilidade Ambiental, Uncategorized with tags , , , , on 30/04/2010 by Renata Junqueira

Depois de um bom tempo sem escrever, finalmente estou voltando!

Aos pouquinhos mas voltando.

Hoje vou postar um vídeo que tem um ar catastrófico mais é  realmente muito bonito e mostra muitas verdades que orecisam ser ditas.

O vídeo tem imagens incríveis e o autor fala sobre a importância de percebermos o mundo como uma unidade, uma “família”, para então percebemos a importância de preserva-la . Quando falo do mundo não me refiro apenas aos nossos amigos, vizinhos e etc. Mas também ao meio ambiente, aos animais e todo o resto.

 Vale a pena ver o vídeo e perceber no fundo da alma o valor de  cultivar a vida!

Mensagem de lorde Stern para Obama

Posted in Vegetarianismo with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on 10/11/2009 by Renata Junqueira

lorde Stern fala sobre mudança climática e vegetarianismo

“O mundo deveria se tornar vegetariano para combater com sucesso a mudança climática, já que o efeito estufa do gás metano liberado por vacas e porcos é 23 vezes mais potente que o do dióxido de carbono, segundo uma das maiores autoridades britânicas no assunto.

Em declarações ao jornal “The Times”, lorde Stern, autor de um relatório sobre a economia da mudança climática encomendado pelo Governo do Reino Unido, disse que a pecuária destinada ao consumo de carne representa “um desperdício de água e contribui poderosamente para o efeito estufa”.

Segundo números da ONU, a produção de carne é responsável por pelo menos 18% das emissões globais de CO2 no planeta. Para esta liberação, contribuem tanto a destruição de florestas para a pecuária extensiva como a produção de ração para animais.

A ONU também já disse que, caso a tendência atual se mantenha, o consumo mundial de carne poderá dobrar até 2050.

Com base nessas informações, Stern propõe que a cúpula sobre mudança climática de Copenhague (Dinamarca), marcada para dezembro, sobretaxe o preço da carne e de outros alimentos que, durante seu processo de produção, são responsáveis pela liberação de uma quantidade significativa de gases estufa.

O especialista britânico, que é vegetariano, prevê ainda que o hábito das pessoas em relação ao consumo de certos gêneros alimentícios mudará até que comer carne se tornará algo inaceitável.

“Acho que é importante as pessoas refletirem sobre suas ações, e isto também tem a ver com o que se come”, diz lorde Stern, ex-economista do Banco Mundial e atual professor da London School of Economics.

Ainda segundo o especialista, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deveria participar pessoalmente da cúpula de Copenhague, já que a liderança americana é extremamente necessária para alcance de um acordo significativo.

“Minha mensagem ao presidente Obama seria a seguinte: ‘Vá a Copenhague, participe com um espírito de colaboração e leve essa mensagem ao povo americano'”, declarou o cientista ao “The Times” ”

Fonte: google news

Aproveite para ver a gravação do crítico e jornalista carioca Arnaldo Jabor sobre a mudança climática e a relção com a alimentação carnívora.


Parabéns para os vegetarianos!

Posted in Gastronomia, Vegetarianismo with tags , , , , , , , , , , , , , , on 02/10/2009 by Renata Junqueira

Dia 1 de outubro é dia internacional dos vegetarianos!!!

hamburger de vaca

Parabéns a você que ajudou a poupar milhares de vidas, milhares de hectares de floresta, milhares de litros d´água…

Há uma tendência mundial em aderir uma alimentação mais saudável e muitos optam em diminuir a quantidade de carne na dieta ou até mesmo em eliminá-la do cardápio. No Brasil 28% da população está diminuindo a quantidade de carne consumida, segundo pesquisa feita pelo grupo Ipsos sobre hábitos alimentares. No orkut, site de relacionamento mais usado no Brasil, pesquisando sobre vegetarianismo é possível encontrar diversas comunidades como: Orgulhosamente vegetariano(a) com 8.659 membros, Eu queria ser vegetariano com 5.029 membros etc.

Não é a toa que duas das maiores indústrias de carne, Sadia e Perdigão, expandiram seu nicho de atuação colocando opções vegetarianas no mercado. Na maioria dos restaurantes, até mesmo de fast-food encontra-se opções exclusivamente vegetarianas. 

Segundo dados da revista Época, “Para um em cada quatro adolescentes americanos, ser vegetariano é uma atitude “positiva”. Por lá, 2,5% da população se considera vegetariana. Não há pesquisas confiáveis no Brasil. Mas o crescimento também é visível. O site da Sociedade Vegetariana Brasileira tem 3 mil acessos por dia. O Congresso Vegetariano Brasileiro e Latino-Americano, marcado para agosto, aguarda 10 mil participantes.”

Lisa Simpson é vegetariana“A cultura contemporânea está repleta de referências vegetarianas. Até as animações infantis estão cheias de vegetarianos. Em Madagascar, um leão supera seus instintos para não almoçar seu amigo – uma zebra. O Espanta-Tubarões e Procurando Nemo mostram tubarões vegetarianos. Lisa Simpson, a irmã inteligente de Bart Simpson, do desenho animado Os Simpsons, se recusa a comer animais mortos. Phoebe, a loira do seriado Friends, também. Nos Estados Unidos, crianças e adolescentes aderem ao ä vegetarianismo em ritmo duas vezes mais rápido que os adultos. “Quem mais nos procura são os jovens”, diz Marly Winckler, presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira.”

Mais de dez por cento da população inglesa é vegetariana. A cada semana cerca de 2.000 ingleses viram vegetarianos. E os dados e fatos que mostram o crescimento do vegetarianismo no mundo são imensos.

 

Lista de sites relacinados ao vegetarianismo divulgado pelo “Sítio Vegetariano” (www.vegetarianismo.com.br):

Seja Vegetarianowww.sejavegetariano.org

Sociedade Vegetariana Brasileira – SVB (www.svb.org.br). Organização que objetiva propagar o vegetarianismo no Brasil.

TAPS (www.taps.org.br). Maior acervo de livros e revistas sobre vegetarianismo, vivissecção e saúde comunitária da América Latina. Videoteca, publicações, panfletos.

Guia Vegano – http://www.guiavegano.com.br

União Vegetariana Internacional (IVU) (www.ivu/org/portuguese). Enorme quantidade de informações em diversos idiomas. Para promover o vegetarianismo a IVU organiza a cada 2 anos um Congresso Mundial em diferentes lugares do mundo (www.ivu/org/portuguese/about.html)

Vegetarian Society (http://www.vegsoc.org). Primeira organização vegetariana do mundo, fundada em 1847 na Inglaterra e existente até hoje.

Vegan Society (www.vegan.org). Centro de informações sobre veganismo.

American Vegan Society (www.americanvegan.org). Informações sobre veganismo.

Listas de discussão sobre vegetarianismo/veganismo

veg-brasil (http://br.groups.yahoo.com/group/veg-brasil). Objetiva discutir o vegetarianismo em todos os seus aspectos.
veg-latina (http://es.groups.yahoo.com/group/veg-latina). Objetiva unir esta região do mundo sob uma perspectiva vegetariana.
veg-receitas (http://br.groups.yahoo.com/group/veg-receitas). Troca de receitas vegetarianas.
jovens vegans (http://br.groups.yahoo.com/group/jovens_vegans). Lista de discussão sobre veganismo direcionada aos jovens.

Um dia volta pra você!

Posted in Autoconhecimento, Responsabilidade Ambiental with tags , , , , , , , , , , , , , , on 24/09/2009 by Renata Junqueira

Uma questão ambiental

Existe uma lei natural que atua sobre nós de forma inexorável,  tal como a lei da gravidade. Esta lei é chamada na cultura hindu de karma, significa “ação” e designa uma lei universal de causa e efeito. Segundo o professor DeRose “podemos definir karma como um destino maleável, que modificamos a cada minuto em virtude de nossas ações, palavras e pensamentos. Estamos o tempo todo a tecer nosso futuro imediato e distante”. Dessa forma percebemos que karma não é algo necessariamente ruim, como muitos ocidentais pensam, mas apenas uma lei que gera uma reação a cada ação que produzimos no universo.

É importante ampliarmos nossa percepção da realidade pois muitas vezes nos fechamos no nosso mundinho e achamos que tudo o que fazemos, falamos e pensamos é um problema apenas nosso. Mas não percebemos que vivemos em um mundo onde tudo e todos estão de alguma forma interligados, como uma rede. Seja esta rede mais sutil como a “rede”, ou as ondas dos pensamentos, das emoções, intuições ou mais densa como a própria Terra, nosso corpo etc.

Hoje em dia alinhado com o conceito ambientalista e ecológico podemos perceber esta conexão oculta entre cada um de nós no nosso dia-a-dia, nos jornais, na televisão. É só ver ou ler qualquer notícia sobre o chamado efeito estufa ou aquecimento global. Este fenômeno nada mais é do que o resultado da falta de consciência global e a excessiva ambição do homem.  Afinal nós sempre achamos que poderíamos utilizar a natureza da forma que bem entendêssemos sem uma conseqüência para isso, sem um karma futuro.

Conhecendo os princípios do karma cabe a cada um modificar e modelar o próprio futuro. “Qualquer mudança de hábitos, de alimentação, de amizades, de profissão, tem como conseqüência uma alteração enorme no karma.” E o mais importante, sabendo que de alguma forma nossas ações se refletem no universo cabe a nós, que temos consciência disto, tomarmos partido para uma mudança significativa começando pelos nossos hábitos, nos reeducando para que sejamos exemplos para os demais que ainda não compreendem isto.

A Arte de Bem Viver – é ser uma pessoa mais responsável e consciente de seus atos, atuando como catalisador para a melhoria do mundo em que vivemos!

Veja o vídeo abaixo feito pela WWF Brasil que mostra em animação sobre o conceito de karma.

Bibliografia utilizada:

Karma e dharma – transforme sua vida, DeRose, Editora Nobel, São Paulo, 2007

 

Impacto da pecuária no meio ambiente!

Posted in Ação social, Responsabilidade Ambiental with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 31/07/2009 by Renata Junqueira

Impacto da Pecuária Bovina no Brasil
Resumo da palestra proferida por Adriana da Conceição (bióloga com especialização em Gestão Ambiental)

Desmatamento é resultado da pecuária

Um pouco da História
– Primeiros impactos no mundo: pastores transformaram florestas em savanas, devido à prática da queimada e pisoteio do gado.
– Ocorreu principalmente no Mediterrâneo e Oriente Próximo.
– No Brasil causou grande impacto na devastação da Mata Atlântica (hoje só restam 7% da mata original).

Impactos na água
Para produzir:
– 1 kg carne consome 20.000 litros de água comparar com
1 kg arroz consome 4.500 L
1 kg trigo consome 1.500 L
1 kgbatata consome 150 L
– um matadouro grande em São Paulo gasta 4.250.000 l/água/dia
– uma pessoa que consome 35kg/carne/ano (média brasileira) pode chegar a gastar 700.000 l/água/ano

Impactos na ocupação de terras
– 1/3 da produção agrícola mundial vai para o gado.
– Ocupa 75% das terras produtivas brasileiras (não adianta confinar o gado, pois o mesmo pode comer 7kg ração para produzir 1kg de carne).

Devastação da Amazônia
– Pecuária: principal causa de desmatamento
(2º é a soja – veja mais em: http://www.reporterbrasil.org.br/clipping.php?id=50 )
– Ocupa um área igual a região sul do Brasil em gado na Amazônia + uma região igual a área do Paraná em pasto abandonado)
– Pecuária contribuiu com 80% do total do trabalho escravo na região em 2004 e 62% em 2007.

Devastação do Pantanal
– Introdução de capim que tem devastado a vegetação local
– Fazendeiros e carvoarias: parcerias
– Provoca assoreamento dos rios da região
Savanas – pode-se dizer que a savana é uma formação vegetal herbácea (ervas) alta, atingindo nalgumas regiões os 2 metros de altura, e “salpicada” de algumas árvores e arbustos.
Assoreamento – são os processos erosivos, causado pelas águas, ventos e processos químicos, antrópicos e físicos que desagregam os solos e rochas formando sedimentos que serão transportados. O depósito destes sedimentos constitui o fenômeno do assoreamento.

Aquecimento Global (aumento do efeito estufa)
– Pecuária foi declarada pior que os automóveis.
– Vegetarianos geram menos 1.485 kg/CO2/ ano.
– No Brasil: maior emissão de CO2 pelas queimadas da Amazônia, de metano (arroto de mais de 200 milhões de bovinos) e óxido nitroso (esterco).
– No mundo: maior emissão de metano e óxido nitroso também
– Rendimento de terras – veja texto abaixo
Fonte: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR770746010,00.html
“O raciocínio é matemático”, diz Greif. Para ele, alimentar os bois com pasto ou grãos é o meio menos eficiente de gerar calorias. A produção de grãos de uma fazenda com 100 hectares pode alimentar 1.100 pessoas comendo soja, ou 2.500 com milho. Se a produção dessa área for usada para ração bovina ou pasto, a carne produzida alimentaria o equivalente a oito pessoas. A criação de frangos e porcos também afeta as florestas. Par a alimentar esses animais, é necessário derrubar árvores para plantar soja e produzir ração. Mas, na relação custo-benefício entre espaço, recursos naturais e ganho calórico, o boi é o pior. ”
Vantagens na saúde
– Diabetes: risco 80% menor em contrair doença
– Pressão arterial mais baixa.
– Redução doença cardíaca.
– Doenças renais menos incidentes.
– Veganos: mais saudáveis

Doenças ligadas ao consumo de carne
– Cardíacas
– Parkinson: UNIFESP – pacientes melhoraram 70% sem carne
– Artrite e infecções: molécula estranha da carne provoca estas infecções
– Câncer e danos ao DNA – pesquisa britânica
– Câncer de próstata: INCA e pesquisa na Califórnia
– Câncer de intestino: várias pesquisas e uma que foi uma das maiores da Europa com 500 mil pessoas em 10 anos
– Câncer de mama – Harvard – dobro do risco
Referências e recomendações de sites e livros:
FAO
PNUMA
EMBRAPA
CETESB
http://www.svb.org.br/
http://www.guiavegano.com/

Além da pecuária ser campeã em trabalho escravo, está acabando com a água potável do planeta. Segundo a FAO (ONU) é uma das grandes responsáveis pelo efeito estufa, e ainda é campeã absoluta em desperdício, pois compromete o solo, gasta uma quantidade exorbitante de água e energia, e gera bilhões de toneladas e poluentes.
“Aqueça seu coração, não o planeta. Seja vegetariano!’

Texto extraido do Blog do Mestre DeRose