Archive for the Arte Category

Exposição M. C. Escher

Posted in Arte with tags , , , on 04/05/2011 by Renata Junqueira

Já começou a exposição que eu quero ver a muuuito tempo!!!

Pra mim o Maurits Cornelis Escher (vulgo Escher), é um dos melhores artistas gráficos do século. Além dos seus desenhos terem uma precisão incrível os efeitos e a vida que ele dá a eles é incrível!!

Este sábado com certeza vou estar lá, e vou chegar cedo pois a entrada é franca e vai ter muita gente!!!

O Mundo Mágico de Escher
Até 17 de julho de 2011
Local: CCBB-SP
Endereço: Rua Álvares Penteado, 112, Centro/ Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô
Horário: terça a domingo, das 9h às 20h
Classificação: Livre
Entrada Franca

Um dos desenhos que mais gosto:

Anúncios

A arte de Pina Bausch

Posted in Arte, Cultura with tags , , , on 20/04/2011 by Renata Junqueira

Neste final de semana fui no Teatro Alfa ver a apresentação da companhia Tanztheater de Wuppertal, fundada pela alemã Pina Bausch. Mesmo sem a presença de Pina, a apresentação está realmente incrível, os 17 bailarinos que fazem parte da companhia incorporaram os ensinamentos desta grande coreografa.

A união do teatro com a dança me transmitiu uma sensação incrível de proximidade com os dançarinos, que com muito sentimento, expressão corporal e bom humor me  envolveram de tal forma que nem percebi as mais de 2 horas de espetáculo passar!

Estou até agora tentando decidir o que foi mais incrível: a atuação dos dançarinos, o figurino ou a trilha sonora!

Vai aqui um vídeo que não está muito bom da peça Ten Chi que foi apresentada aqui no Brasil.

E também o trailer do curta alemão sobre a obra de Pina Bausch

E para babar nos figurinos tem também essas fotos tiradas do site R7 entretenimento, da fotógrafa Julia Chequer.

Ares de Clarisse

Posted in Arte with tags , , on 25/06/2010 by Renata Junqueira
“Escrevo como se estivesse dormindo e sonhando:
as frases desconexas como no sonho.
É difícil, estando acordado, sonhar livremente nos meus remotos mistérios.”

Clarisse Lispector

Yôga Sútra de Patañjali

Posted in Arte with tags , , , on 23/02/2010 by Renata Junqueira

Mundo paralelo de OSGEMEOS!

Posted in Arte with tags , , , , , , , , , , , , , on 01/12/2009 by Renata Junqueira

Fui visitar a exposição dos grafiteiros Gustavo e Otávio Pandolfo, mais conhecidos como OSGEMEOS. Na verdade não é uma exposição e sim mundo paralelo que os artistas criaram dentro da FAAP.

Abrangendo além do sentido visual o ambiente estimula também os sentidos auditivos e táteis, transportando-nos ainda mais para este mundo colorido e divertido da imaginação.  Porém, por mais mágico, colorido e fantasioso que pareça este mundo ele também nos mostra uma dura realidade.

Instrutores do Método DeRose Itaim e alunos na exposição

Percebe-se que por trás de tantas cores vibrantes, linhas delicadas, desenhos inimagináveis há muita sensibilidade e grande sintonia entre os dois irmãos, isso torna as obras  ainda mais incríveis e transformadoras.  Numa entrevista para a revista Bravo, os artistas contam que certa vez, na época de escola, participaram de um concurso de ilustração e mesmo sendo de salas diferentes, sem comentarem a obra que cada um faria, apresentaram trabalhos idênticos.

Uma das coisas mais impressionantes são os detalhes que acabam virando o ponto central dos desenhos, fora os acabamentos lindos feitos com paetês e espelhos. A exposição de inicio parece pequena, porém os detalhes são tantos que a visita acaba levando horas para quem realmente quiser apreciar as minúcias.

Depois da exposição vale um pit stop na Kopenhagen bem em frente para trocar as experiências com os amigos!

Ano da França no Brasil!

Posted in Arte, Cultura with tags , , , , , , , , , , , on 17/09/2009 by Renata Junqueira

Montagem Matisse Hoje/ Aujourd’hui

Neste sábado fui à Pinacoteca do Estado de São Paulo para ver a exposição do francês Henri Matisse. Lembrei  do tempo de escola estudando História da Arte e da minha professora explicando sobre este artista  e toda sua influência no movimento Fovista. Foi legal ir na exposição para ver e sentir de pertinho as cores vibrantes e contagiantes dos quadros de Matisse, o que em fotos ou na internet é impossível perceber tão bem. A exposição é curta porém mostra uma retrospectiva bem pontual  com os quadros, esculturas, desenhos e litografias mais importantes de Matisse.

No início de sua carreira, no ano de 1908, Matisse não era bem aceito pelos cricri, quero dizer pelos críticos, por conta justamente dessas cores fascinantes que o artista utilizava, mas é o preço que se paga por transgredir as convenções da época. Explicando sobre sua obra para uma revista  o pintor escreveu: “Sonho com uma arte de equilíbrio, de pureza, de tranquilidade, sem temas inquietantes ou preocupantes, uma arte que seja, para qualquer trabalhador cerebral, quer o homem de negócios, quer o homem cultivado, um lenitivo, um calmante mental, algo como uma boa poltrona onde ele possa relaxar do cansaço físico“.

Litografia com cartaz Henri Matisse

Na exposição o que eu mais gostei realmente foram suas  litografias que com a simplicidade dos seus poucos traços transmitiram para mim muito significado, muito sentimento.  Outro destaque da mostra foram as imagens realizadas pelos pioneiros da fotografia Henri Cartier-Bresson e Man Ray, que retratam Matisse no cotidiano e em seu ateliê.

Estando na Pinacoteca aproveite para desfrutar alguns instantes da obra da francesa Céleste Boursier onde três piscinas com louças francesas brancas de porcelana de variados tamanhos flutuam e produzem sons ao se chocarem umas com as outras. Para finalizar  o passeio cultural a parte externa do Café da Pinacoteca é bem agradável com visual para o Jardim da Luz e algumas fotografias em macro bem interessantes.

Dica: Parece que a arte no Brasil esta começando a ganhar seu devido valor, por isso se você não gosta de enfrentar filas não vá na exposição aos sábados pois a entrada é gratuita e lota bastante.

Mudança de paradigma

Posted in Arte, Poesia with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 02/06/2009 by Renata Junqueira
Caverna Petar

Por: Ana Paula Matta

Um lugar como este é como uma decisão que tomamos em nossa vida, nos transforma para sempre e nunca mais esquecemos. Cada brecha da memória reavivará os momentos e as fotografias que tiramos com a mente. Cada passo que demos lá, cada palavra que proferimos e cada respiração feita naquele ambiente será guardado no inconsciente coletivo.

As águas gélidas são também quentes o suficiente para queimar qualquer resquício de energia negativa em nosso corpo. As cavernas escuras são claras o suficiente para enxergarmos a magia e a perfeição da natureza. São também lugares enormes mas que parecem tão pequenos ao nos aconchegar e nos mostrar tanto conhecimento acumulado pelos anos.

Essência Caverna no Petar

Por: Ana Gabriela Souza

Quando se está num lugar como este, vivendo com toda a simplicidade do ser, em contato com o que há de mais belo e primitivo na natureza, tudo o que há de mais nobre e verdadeiro em nós desabrocha, simplesmente por estarmos mais em contato com nós mesmos.

Nascemos nus, sem luz,vegetarianos…

Porque precisamos inventar tantas coisas para sermos felizes? Quem não percebe a beleza e sabedoria da natureza não é feliz pois não conhece a própria essência.