Archive for the Ação social Category

Medalha Brigadeiro Sampaio, Patrono da Infantaria.

Posted in Ação social, Responsabilidade social with tags , , , , , , on 05/07/2010 by Renata Junqueira

Tive o privilégio de acompanhar o educador DeRose um uma cerimônia no quartel do 1º Batalhão de Policiamento de Choque Tobias Aguiar (ROTA), para receber a medalha Brigadeiro Sampaio. A medalha foi concedida pela ONU pelas ações que DeRose tem realiazado em prol de um mundo melhor!

Por uma globalização mais humana – Milton Santos

Posted in Ação social, geografia with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 28/08/2009 by Renata Junqueira

 

Geógrafo que revolucionou a Geografia moderna no Brasil, seus conceitos e temas.

Geógrafo que revolucionou a Geografia moderna no Brasil, seus conceitos e temas.

A globalização tem como definição mais direta, meramente o conjunto de mudanças através das quais se diminuem os constrangimentos geográficos sobre os processos sociais, econômicos, políticos e culturais, redução esta sobre a qual os indivíduos cada vez são mais conscientes. Mas isso é uma definição obviamente teórica, pois não é isso que vemos acontecer na prática. Primeiro porque esta quebra de barreira não se estende exatamente a todos os indivíduos do globo terrestre, ela se restringe apenas aqueles que tem condições de adquirir ou estar em contato com as novas tecnologias mundiais e as informações globais. Segundo, pois esta informação globalizada, a informação em massa, é produto das empresas globalitárias e segue a férrea lógica dos tempos, pois seleciona os destinatários, recorta a natureza da informação e controla sua difusão, produzindo como resultado apenas um “novo encantamento”, que pode ser inclusive alterado com a sofisticação que as novas tecnologias viabilizam, em escala incessante de multiplicação.

Nesse mundo globalizado a competição torna-se mais do que apenas necessário e saudável, a competição torna-se frustrante e antiética. E ao contrário do que se esperava cresce o desemprego, a pobreza, a fome e a violência. A globalização trouxe mais do que facilidades cotidianas, tecnologia e informação globalizadas, ela trouxe principalmente a pobreza globalizada, uma pobreza que não é mais local, nem mesmo nacional, ela é estrutural e o pior uma pobreza vista como inevitável e incurável.

Milton Santos observa a globalização sob três óticas: “o primeiro seria o mundo tal como nos fazem vê-lo: a globalização como fábula; o segundo seria o mundo tal como ele é: a globalização como perversidade; e o terceiro, o mundo tal como ele pode ser: uma outra globalização”. A fábula é propagada por Estados e empresas, que colocam a globalização como fato inevitável. A imposição desse “pensamento único” naturaliza o caráter perverso do fenômeno, e constitui o que Milton chamava “violência da informação”. A perversidade da globalização se revela na medida em que seus benefícios não atingem sequer um quarto da população mundial, ao custo de disseminar a pobreza de continentes inteiros. Vista como possibilidade para o futuro, ela passaria a empregar os novos progressos técnicos de forma mais solidária, por exemplo produzir mais alimentos para a população, aplicar à medicina reduzindo assim as doenças e a mortalidade, de modo a derrubar o globalitarismo — termo cunhado por Milton que agrega ao conceito de globalização a noção de totalitarismo.

Nosso excelentíssimo geógrafo Milton Santos, nos faz pensar: nos dias de hoje essa facilidade de acesso e de disseminação da informação pode ser uma grande veículo para um mundo mais solidário. Só o que precisamos é que nossa consciência desperte o que ainda há de solidário em cada um de nós. É sim possível lutar por uma globalização menos perversa, “ampliando um intercâmbio pacífico entre os povos e eliminando a belicosidade do processo competitivo, que todos os dias reduz a mão-de-obra, e amenizando a pobreza. É possível pensar na realização de um mundo de bem-estar, onde os homens serão mais felizes.”- Milton Santos

 

Referências:

Livro: Por uma outra globalização – do pensamento único à consciência universal, Milton Santos.

Documentário: Encontro com Milton Santos ou O Mundo Global Visto do Lado de Cá, Sílvio Tendler.

Encerramento da Campanha do Agasalho 2009

Posted in Ação social, Método DeRose, Solidariedade with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 07/08/2009 by Renata Junqueira

Agradecimento a todos que ajudaram nossa arrecadação ficar ainda mais quente!

grupo roda com o total de agasalhos arrecadados na Campanho do Agasalho 2009

A cada ano a arrecadação da Campanha do Agasalho cresce exponencialmente. Este ano com muita alegria e descontração o Grupo Roda apresentou na cerimônia de Encerramento o número de agasalhos arrecadados!

Governador José Serra e o Mestre DeRose no encerramento da campanha do agasalho 2009“José Serra, atual governador do Estado de São Paulo, esteve presente na cerimônia de encerramento da Campanha do Agasalho, promovida pelo Fundo Social de Solidariedade e realizada na tarde de hoje, 29/7, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. A Rede DeRose participa ativamente do processo de arrecadações para o Fundo de Solidariedade desde 2004, tendo as Unidades credenciadas como postos de arrecadação todos os anos.”

Texto extraido do site YÔGAPRESS

 

Impacto da pecuária no meio ambiente!

Posted in Ação social, Responsabilidade Ambiental with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on 31/07/2009 by Renata Junqueira

Impacto da Pecuária Bovina no Brasil
Resumo da palestra proferida por Adriana da Conceição (bióloga com especialização em Gestão Ambiental)

Desmatamento é resultado da pecuária

Um pouco da História
– Primeiros impactos no mundo: pastores transformaram florestas em savanas, devido à prática da queimada e pisoteio do gado.
– Ocorreu principalmente no Mediterrâneo e Oriente Próximo.
– No Brasil causou grande impacto na devastação da Mata Atlântica (hoje só restam 7% da mata original).

Impactos na água
Para produzir:
– 1 kg carne consome 20.000 litros de água comparar com
1 kg arroz consome 4.500 L
1 kg trigo consome 1.500 L
1 kgbatata consome 150 L
– um matadouro grande em São Paulo gasta 4.250.000 l/água/dia
– uma pessoa que consome 35kg/carne/ano (média brasileira) pode chegar a gastar 700.000 l/água/ano

Impactos na ocupação de terras
– 1/3 da produção agrícola mundial vai para o gado.
– Ocupa 75% das terras produtivas brasileiras (não adianta confinar o gado, pois o mesmo pode comer 7kg ração para produzir 1kg de carne).

Devastação da Amazônia
– Pecuária: principal causa de desmatamento
(2º é a soja – veja mais em: http://www.reporterbrasil.org.br/clipping.php?id=50 )
– Ocupa um área igual a região sul do Brasil em gado na Amazônia + uma região igual a área do Paraná em pasto abandonado)
– Pecuária contribuiu com 80% do total do trabalho escravo na região em 2004 e 62% em 2007.

Devastação do Pantanal
– Introdução de capim que tem devastado a vegetação local
– Fazendeiros e carvoarias: parcerias
– Provoca assoreamento dos rios da região
Savanas – pode-se dizer que a savana é uma formação vegetal herbácea (ervas) alta, atingindo nalgumas regiões os 2 metros de altura, e “salpicada” de algumas árvores e arbustos.
Assoreamento – são os processos erosivos, causado pelas águas, ventos e processos químicos, antrópicos e físicos que desagregam os solos e rochas formando sedimentos que serão transportados. O depósito destes sedimentos constitui o fenômeno do assoreamento.

Aquecimento Global (aumento do efeito estufa)
– Pecuária foi declarada pior que os automóveis.
– Vegetarianos geram menos 1.485 kg/CO2/ ano.
– No Brasil: maior emissão de CO2 pelas queimadas da Amazônia, de metano (arroto de mais de 200 milhões de bovinos) e óxido nitroso (esterco).
– No mundo: maior emissão de metano e óxido nitroso também
– Rendimento de terras – veja texto abaixo
Fonte: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR770746010,00.html
“O raciocínio é matemático”, diz Greif. Para ele, alimentar os bois com pasto ou grãos é o meio menos eficiente de gerar calorias. A produção de grãos de uma fazenda com 100 hectares pode alimentar 1.100 pessoas comendo soja, ou 2.500 com milho. Se a produção dessa área for usada para ração bovina ou pasto, a carne produzida alimentaria o equivalente a oito pessoas. A criação de frangos e porcos também afeta as florestas. Par a alimentar esses animais, é necessário derrubar árvores para plantar soja e produzir ração. Mas, na relação custo-benefício entre espaço, recursos naturais e ganho calórico, o boi é o pior. ”
Vantagens na saúde
– Diabetes: risco 80% menor em contrair doença
– Pressão arterial mais baixa.
– Redução doença cardíaca.
– Doenças renais menos incidentes.
– Veganos: mais saudáveis

Doenças ligadas ao consumo de carne
– Cardíacas
– Parkinson: UNIFESP – pacientes melhoraram 70% sem carne
– Artrite e infecções: molécula estranha da carne provoca estas infecções
– Câncer e danos ao DNA – pesquisa britânica
– Câncer de próstata: INCA e pesquisa na Califórnia
– Câncer de intestino: várias pesquisas e uma que foi uma das maiores da Europa com 500 mil pessoas em 10 anos
– Câncer de mama – Harvard – dobro do risco
Referências e recomendações de sites e livros:
FAO
PNUMA
EMBRAPA
CETESB
http://www.svb.org.br/
http://www.guiavegano.com/

Além da pecuária ser campeã em trabalho escravo, está acabando com a água potável do planeta. Segundo a FAO (ONU) é uma das grandes responsáveis pelo efeito estufa, e ainda é campeã absoluta em desperdício, pois compromete o solo, gasta uma quantidade exorbitante de água e energia, e gera bilhões de toneladas e poluentes.
“Aqueça seu coração, não o planeta. Seja vegetariano!’

Texto extraido do Blog do Mestre DeRose

Uma questão para pensar – parte I

Posted in Ação social, Alimentação, Opinião e informação with tags , , , , , , , , , , , , , , , on 15/06/2009 by Renata Junqueira
Ronald Mcdonald, confissão de vegetarianismo
“Eu fiz lavagem cerebral em crianças, induzindo-as fazer o que é errado. Quero pedir desculpas por ter promovido uma empresa que fatura milhões matando animais” Geoffrey Guiliano, o ator principal do personagem Ronald MacDonald, nos anos 80, quando pediu demissão e se desculpou publicamente.

Campanha do Agasalho – quanto mais gente, mais quente!

Posted in Ação social, Solidariedade with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on 01/06/2009 by Renata Junqueira

campanha do agasalho, palácio dos bandeirantes

 

“Em colaboração com a Defesa Civil e com o Governo do Estado de São Paulo, os instrutores e alunos da Universidade de Yôga se engajaram em uma campanha permanente pelo civismo e pela responsabilidade social. Buscamos participar de todas as ações promovidas pelo Governo Federal, pelos Governos Estaduais e pelas entidades humanitárias e assistenciais.

Uma dessas ações é a Campanha do Agasalho, para a qual trabalhamos todos os anos, junto ao Fundo Social pela Solidariedade.

Uma dessas ações é a Campanha do Agasalho, para a qual trabalhamos todos os anos, junto ao Fundo Social pela Solidariedade. Desde o início do ano nossos instrutores e alunos estão alertados para deflagrar nossa força de arrecadação de agasalhos assim que o Governo der o sinal verde.

Pois bem, foi dada a partida. Todas as nossas Unidades do Estado de São Paulo estão em ação para arrecadar o máximo possível de agasalhos no menor período de tempo possível. Não adianta chegarmos na Defesa Civil com os agasalhos depois que o inverno já estiver impondo seus rigores aos desvalidos.

(Acesse o site www.uni-yoga.org para saber a localização das nossas escolas)

-Você pode ajudar fazendo uma arrumação nos seus armários e trazendo a qualquer uma das nossas escolas todos os agasalhos e cobertas que possa doar.

-Você pode ajudar enviando e-mails e mensagens aos seus amigos, parentes, clientes, colegas de trabalho ou de faculdade e incentivando-os a trazer os agasalhos a alguma das nossas escolas.

-Você pode ajudar oferecendo o seu tempo e participando ativamente das equipes que vão buscar e levar as caixas e demais trabalhos que precisam de voluntários.

-Você pode ajudar conseguindo caminhões, faixas e alto-falantes para que realizemos ações nas ruas residenciais dos bairros, a fim de que as pessoas nos escutem de dentro dos seus apartamentos e atirem os agasalhos nos caminhões, como temos feito em anos anteriores. Isto dá muito resultado.

-Você pode ajudar conseguindo que condomínios, prédios, empresas, clubes, academias, escolas permitam a colocação das nossas caixas de arrecadação.

Mas preciso que você reaja rápido.

Cada um ajuda como pode. Quem tem tempo, doa seu trabalho. Quem tem disponibilidade, efetua doações. O que importa é que estamos despertando nos jovens e em todos os nossos alunos a satisfação de sentirem-se úteis e, portanto, participantes da comunidade. Isto está em perfeita coerência com as propostas do Yôga, palavra que traduzida pode significar união, integridade, integração. No caso, integração na comunidade.”

Blog do DeRose